segunda-feira, 19 de agosto de 2013

HORA ERRADA

Eu tinha lhe guardado um sonho
Eu queria lhe mostrar uma canção...
Para um dia cantar com você,
Guitarra e violão.

Cinco fichas, um orelhão...
O seu número vibrando em meus dedos.
A sua imagem num palco distante;
Inalcançável.

A sinceridade doeu na hora errada
E eu cantei sozinho
Aquela canção...

                             (Sandro Penelú)

sexta-feira, 19 de julho de 2013

OLHOS NA CALÇADA

Uma bola de vôlei era um mundo
Onde se aproximavam dois mundos.
Todos os deuses da paixão
Conspiravam pros encontros
Desencontrados...

Um cartão;
Aniversário;
Sede...
Sede de sua palavra, de sua boca, de você.

Enquanto isso, nas calçadas estreitas,
Seus olhos germinavam...

                            (Sandro Penelú)

"Uma mensagem de amor", com Penelú

sexta-feira, 28 de junho de 2013

PARAÍSO INDESTRUTÍVEL

Quando desabitarmos o universo
visível,
O Apocalipse será quântico,
Magnífico.

Quando desabitarmos nossos corpos
Feitos de carne,
Só a essência será o tudo do tudo
E o invisível, o paraíso indestrutível da criatura...

                                           (Sandro Penelú)

terça-feira, 4 de junho de 2013

"Qualquer coisa", um clássico de Caetano, com Sandro Penelú

DA LUZ AO AMOR

Fascina-me a vida, o pulsar
As pessoas...
Fascina-me a música do ar
A liberdade de ir e vir

O belo encantado de cada ser humano.
Fascina-me o toque, o afago
O sorriso...

                              (Sandro Penelú)

segunda-feira, 3 de junho de 2013

SENSAÇÕES

Vejo amor em seus olhos
Em sua voz...
Um amor que não é meu
Que me é distante
Como nave perdida na vastidão do Universo.

Vejo cores que me convidam
E me inspiram os mais belos poemas
E me trazem você
Com um sorriso brilhante;
Provocante...

Deleito-me nessa tênue fantasia
E cada vez mais me transportando
Para além da concepção humana.

O pensamento me leva ao seio da mitologia;
Ao leito de Ísis
Despida e linda, entreabrindo os lábios
Num gemido de amor e desejo.

Volto a mim, exausto
Ainda sentindo as carícias
De uma deusa que me envolveu por inteiro
E se me dera, louca de paixão,
Como nunca se entregara ao próprio Osíris...

                                             (Sandro Penelú)

AZOHR

Quando sobre mim
Desabou a tempestade
E das nuvens
Relâmpagos gritavam
Num clarão de fogo,
Vi que meu peito se abria
E dele, um dragão colorido
Avançava sobre o meu pensamento

Na espreita...
No aguardo das faíscas
Que saíam do meu crânio
E de cada fio de cabelo
Pendia uma serpente
Cujo veneno era disputado
Por um par de dinossauros
Que nasciam dos meus braços...

                               (Sandro Penelú)

sábado, 1 de junho de 2013

Cantando "Peixinhos do mar"

ALUCINOGENADAMENTE

Desponta-me uma cidade de cogumelos coloridos
Onde serpentes voadoras
Enroscam-se e comem seus caules
Onde vozes entoadas do além
Chegam aos tímpanos das árvores
Avisando das folhas gigantescas
Que carregam minha cabeça
Aberta em pétalas
Para ser colhida por um cometa apaixonado
Que a levará ao espaço cósmico
E a presenteará a uma estrela linda
Sua eterna namorada...

                             (Sandro Penelú)

"Palpite" - acústico

ESTRATOSFERA

Quando os seres humanos se precipitarem no espaço,
O ouro dos ambiciosos sumirá no infinito.
O orgulho perder-se-á no Universo.
As armas atômicas vagarão no vácuo.
Ouvir-se-ão prantos,
Gritos desesperados...
Até que o vazio rapidamente os devorará...

                                         (Sandro Penelú)

quinta-feira, 23 de maio de 2013

RODA ENFEITIÇADA


De tanto vagar,
Sem metas ou caminhos,
Vi crescer alucinações,
Vi bailar serpentes venenosas,
Estátuas que conversavam,
Polvos de tentáculos gigantescos...

Vi o afã do Sol descendo
Para tomar um gole d’água no rio,
Vi as nuvens tomando formas macabras,
Vi um homem escancarando a boca
Para engolir um raio que caía...

Vi um gigante guerreiro
Fugindo da presença de um menino
E vi o mundo abrir-se ao meio
E ser colado às pressas
Por um louco colecionador de planetas...
                                    (Sandro Penelú)

Esta é com participação do amigo Aldo Melo - "João e Maria"

quarta-feira, 22 de maio de 2013

PROFECIA


Quando essa ventania cessar
E os vulcões se acalmarem,
Meu espírito descerá de uma estrela,
Brilhará como o Sol,
Incandescerá as trevas,
Misturar-se-á às águas do oceano,
Beijará a praia
E retornará às nuvens...
                         (Sandro Penelú)

Curta "Haragana", com Penelú

terça-feira, 21 de maio de 2013

TALVEZ


Quem sabe, por volta do ano 6888,
Veremos, já acostumados,
A passagem de naves silenciosas
Por sobre o nosso pequeno planeta...

Quem sabe, dragões alados
Farão parte da paisagem do Cosmos,
Cometas se abrirão em pétalas,
A Lua virá flutuar por sobre os mares,
Derramando de suas crateras
Um pouco de terra cor-de-prata...

Quem sabe?... Quem sabe?...
Quem sabe por quanto tempo
Ainda habitaremos este sonho vivo
Que é o planeta Terra?
                            (Sandro Penelú)

"Grito de alerta" - de Gonzaguinha - com Sandro Penelú

terça-feira, 30 de abril de 2013

Meiga senhorita acústico - voz e violão

JOIAS VINDAS DE DENTRO


Gosto dos retraídos, quietos, calados,
que cantam na alma.
Prefiro os sorrisos mais discretos,
o toque na ponta dos dedos,
o suspiro que cala.
Candelabro aceso, à moda antiga,
um tapete no meio da sala,
um par...

Gosto de quem sabe fazer poesia,
não poesia barata, a de verdade.
Como o vento, como os pássaros,
como as mãos, sem pudores.
Prefiro as joias,
As joias vindas de dentro...
                        (Sandro Penelú e Ilana Maia)


Matando saudades do MPB Entre Amigos


sábado, 27 de abril de 2013

ESCALADA


Vim de uma galáxia
Muito aquém deste Sol
Vim do infinito dos infinitos
Das regiões onde os planetas fulguram

Vim da poeira germinante
De uma vasta nebulosa
Vim das faíscas prateadas
Da queda de um meteoro

Vim para enraizar-me neste solo
Beber destas águas
Aquecer-me deste sol
E brotar desta terra...
                             (Sandro Penelú)


"Bandolins" - voz e violão


Acompanhado por Jader Marques e Josas Almeida, Penelú canta "Mimar você"

Mais um clássico: "Melô do preguiçoso", com Sandro Penelú

Voz, violão e "Meia lua inteira"

Cantando um dos clássicos de Zé Ramalho, "Garoto de aluguel"

Cantando com Aldo Melo, "Destino", uma das composições da dupla

Aqui, a música que Penelú fez para Feira de Santana, "Chamego de Princesa"

Ao lado de Aldo Melo, Sandro Penelú interpreta "Na rua, na chuva, na fazenda"

UM PORTO


A vida é um porto
Onde as almas atracam
E aí permanecem,
Sendo corroídas pela ferrugem do tempo,
Até chegar a hora de partirem para o mar...
                                                       (Sandro Penelú)



Aqui, Penelú canta com Josas Almeida a canção "Amigo é pra essas coisas"

INSTANTE

Um instante e foi o suficiente

um olhar, um segundo congelado
e sua boca sorriu, brejeira
e me vi em você
amando.

A um passo estava a realidade:
éramos apenas parte do momento
e eu mais um cara apaixonado...
                               (Sandro Penelú)

Curta "Nós", na interpretação de Sandro Penelú